Pré-Gestacional

O MEDO DO NOVO – A DESCOBERTA DE UMA GRAVIDEZ

A DESCOBERTA DE UMA GRAVIDEZ  MÃE

Como foi a descoberta da sua gravidez? Sentiu-se com medo? Confusa? Insegura?

Toda e qualquer mudança traz desconforto porque tira da ordem os pensamentos e sentimentos. Além disso, quanto maior a mudança, maior o impacto.

Quando falamos de uma gravidez, então… a cabeça quase dá um “nó”. Mesmo que tenha sido planejada, desejada e esperada, é uma mudança tão brusca, que você, provavelmente, teve sentimentos ambíguos e contraditórios ao mesmo tempo.

Mas calma, não se sinta a pior mulher do mundo por conta disso. Esse tipo de comportamento é esperado quando há mudanças e ele tende a vir na mesma proporção que aquela mudança veio para você.

Sua cabeça está tentando se reorganizar e categorizar o acontecimento para encaixá-lo na sua vida e deixar tudo em ordem novamente. Por isso, esse período é caracterizado por grandes transformações psíquicas e de personalidade, pois acontece uma importante transição existencial.

Oi? Como?

Explico: você está deixando de ser a mulher que era para tornar-se a mulher que era + mãe.

Exemplo:

 

Tabela - O Medo do novo

Antes, Maria olhava-se no espelho e se via como na coluna da esquerda, depois que engravidou, transformou a visão de si mesma para a coluna da direita. O mesmo acontece com a forma que os outros a enxergam, esse olhar se altera a partir dos papéis sociais que Maria desempenha.

Ou seja, acontece um reajustamento interno (e externo se tratando da visão do outro) que leva a mulher a uma mudança de identidade, com uma nova definição de papéis a serem exercidos por ela.

Dentre os receios (não necessariamente verbalizados) da mulher que se descobriu grávida destaco alguns, como:

  • “Tenho um bom corpo para gerar?”;
  • “Saberei ser mãe?”;
  • “Todos irão me apoiar?”;
  • “Meu bebê será saudável?”;
  • “E o meu trabalho?”;
  • “Como será minha vida agora?”;

 

O medo do novo, a descoberta de uma gravidez!

Além disso, o ambiente (momentos vivenciados e familiares) em que essa mulher se encontra também influencia os sentimentos e emoções, que já não são poucos, desse momento como, por exemplo:

  • Se possui um parceiro fixo;
  • Se possui o apoio da família;
  • Se já teve perdas gestacionais;
  • Se planejou a gravidez;

Quando existe um parceiro fixo, um ponto que auxilia a mãe nesse processo é a participação ativa dele (que também está passando pela reorganização interna para assumir seu novo papel de pai) para que possam se apoiar um ao outro para encontrar um equilíbrio adequado nas novas relações que estão se estabelecendo com a vinda do novo membro da família.

 

CONCLUSÃO

O único apontamento que tenho a fazer aqui é:

⇒ Existe um estado natural de sentimentos ambivalentes em mulheres que se descobriram grávidas.

Post Anterior Próximo Post

Você Pode Gostar Também

2 Comentários

  • Responder Izzy Rainer 02/04/2017 at 09:43

    Adorei o site, parabens!!

    • Responder Jéssica Carmassi 02/04/2017 at 13:45

      Que bom que gostou! Muito obrigada… volte sempre! 😀

    Deixe uma Resposta