Gestação, Pós-Parto

EDUCAÇÃO – VOCÊ QUER O FILHO PERFEITO??

Quando se trata de educação, sabemos que alguns pais e mães são mais exigentes do que outros.

Mas e quando essa exigência é exagerada? O que acontece?

Essa exigência em excesso pode levar a consequências na criança como a falta de autoestima, ansiedade e mal estar emocional.

Sim, isso mesmo!

Com a exigência exacerbada, as crianças demonstram temer qualquer tipo de erro que possam cometer além de terem a sensação de nunca alcançarem as expectativas altas por parte dos pais.

Isso pode acontecer em qualquer situação como, por exemplo, com as notas da escola, campeonatos, nas atividades extra curriculares e etc.

Além disso, esse comportamento dos pais pode levar o filho ao esgotamento e vulnerabilidade por não ter “descanso” e estar sempre “correndo atrás” para ter o resultado que os pais esperam.

FILHO PERFEITO 1

Resumindo, a exigência excessiva pode ocasionar:

  • Dependência e passividade – sempre procurando aprovação externa para tomar sua decisão;
  • Falta de emotividade – podem inibir suas emoções (como segurar o choro);
  • Baixa autoestima – perdem a capacidade de tomarem decisões por si só;
  • Frustração, mal estar emocional e rancor – momentos de agressividade;
  • Ansiedade – Qualquer mudança na rotina ou uma nova situação pela qual terá que passar gera insegurança;

Outro ponto importante → além do que pode ocasionar no momento, essas consequências podem perdurar pela vida adulta, afinal, as vivências da infância influenciam diretamente no adulto que a criança será, principalmente as vivências que estão relacionadas ao seus pais que são seu núcleo de afeto.

Concluindo…

FILHO PERFEITO 2

As cobranças e exigências devem sim existir, mas de maneira equilibrada!

A base da educação deve ser sempre o autodescobrimento de suas capacidades e habilidades e não o perfeccionismo.

Os pais devem estar sempre fazendo uma autoavaliação do que costumam dizer e fazer para influenciarem na vida de seus filhos da melhor forma possível.

Caso achem difícil de se fazer essa auto-avaliação, o indicado é de que procurem a ajuda de um psicoterapeuta para, assim, conseguirem pensar e refletir sobre como estão conduzindo a educação do seu filho.

Gostou? COMPARTILHE!
Até a próxima! 🙂

Post Anterior Próximo Post

Você Pode Gostar Também

Sem Comentários

Deixe uma Resposta