Pré-Gestacional, Tentantes

ANSIEDADE DE TENTANTE

ENTENDA COMO A ANSIEDADE PODE SER A INIMIGA DA FERTILIDADE

#VIDADETENTANTE


Olá mentes grávidas!

Como anda seu nível de ansiedade?

Quando se decide ter um filho e se inicia as tentativas, a ansiedade passa a ser uma grande companheira. Mas isso não quer dizer que ela seja uma BOA companhia.
Pensando no fator ‘sobrevivência’, em níveis baixos e em determinadas situações, a ansiedade é sim importante para nos manter preparadas para o que pode acontecer. Porém, quando ela se torna constante e/ou em nível alto é que começa o problema.

Os transtornos de ansiedade estão entre os transtornos mais frequentes na população em geral, pois é. Para esclarecer essa frequência: pegando a parcela de mulheres que são mães, a ansiedade e depressão estão associadas, em média, a 63% delas.

  • Infelizmente não encontrei dados estatísticos relacionados às tentantes. Mas, no consultório, o que se vê é uma frequência alta!

Esse índice é alto nas tentantes porque quanto maior a existência de fatores que dificultam a realização das expectativas criadas, maior o estresse. Além disso, um estressor e fator de ansiedade grande é, também, quando não há nenhum problema físico e, mesmo assim, a gravidez não ocorre (pode ser psicológico! Mas ainda falaremos mais sobre isso).

Como saber, então, se eu sofro além da conta com a ansiedade?

Vamos começar com os sintomas…

Os sintomas físicos se baseiam em: falar muito rápido; roer as unhas; dificuldade em dormir; tensão muscular (causando dor) – mais comum: nas costas, ombros, pescoço e/ou maxilar/bruxismo; sentir tremores – mais comum: ficar balançando rapidamente os pés e pernas; dor de barriga acompanhada de diarreia ou não; dor/aperto/palpitações no peito; enjoos acompanhados de vômitos ou não; falta de ar ou respiração ofegante; tontura ou sensação de desmaio;

Os sintomas psicológicos se baseiam em: dificuldade de concentração; agitação/inquietude; nervosismo/irritabilidade; sensação de que algo ruim irá acontecer; preocupação exagerada com a realidade e/ou com o futuro; descontrole sobre os próprios pensamentos;

  • Os sintomas da ansiedade acontecem justamente para mostrar que algo não vai bem. Se não paramos para olhar para isso, logo no início, a situação tende a se agravar, pois os sintomas psicológicos levam aos sintomas físicos que, por sua vez, leva a outros sintomas psicológicos, como um círculo vicioso.

Nesse ponto é preciso ressaltar que, na maioria das vezes, nem todos os sintomas se manifestarão ao mesmo tempo e que cada pessoa apresentará um conjunto de sintomas. Ou seja, a ansiedade não se apresenta da mesma forma para todos.
Além disso, a ansiedade não aparecerá exatamente pelos mesmos motivos para todas as pessoas, pois pode ser provocada por qualquer motivo, dependendo da importância e expectativa que a pessoa dá a determinada situação.

  • Alguns dos aspectos mais comuns que levam à ansiedade nas tentantes são as cobranças sociais – família, companheiro, amigas; o tempo de espera pela gravidez; um número alto de exames; uma nova gestação quando houve perda anterior.

Como disse no início do texto, ter certo nível de ansiedade é natural. Mas devemos ficar de olho para quando ela passa do nível saudável. Isso acontece quando percebemos que ela está desproporcional à situação que a desencadeia, como uma resposta inadequada, quando não existe motivo específico e quando o conjunto de sintomas está atrapalhando o dia-a-dia, por vezes, até tarefas simples.

Apesar disso, muitas pessoas continuam levando suas vidas sem buscar ajuda para lidar com a ansiedade e as consequências disso podem ser grandes…
Uma mulher com níveis elevados de ansiedade influencia nos batimentos cardíacos do bebê e problemas obstétricos (quando gestante) e em possíveis problemas comportamentais e pré-disposição à psicopatologias em crianças e adolescentes.

E quando tentante, a ansiedade pode interferir na fertilidade. Sim, isso mesmo que você leu! Algumas mulheres me relatam que estão tentando engravidar há algum tempo (muitas vezes há anos), que já fizeram todos os exames, mas não engravidam!

Isso acontece porque nossa mente tem um “sistema de defesa” próprio. Por exemplo: quando essa defesa acontece por conta da ansiedade nua e crua, ela pensa assim: essa gravidez nem aconteceu e ela já está sofrendo muito, imagina se ela engravidar, o sofrimento vai ser muito maior!

E pronto, infertilidade psicológica!

Está aí a necessidade de se aprender a lidar com a ansiedade! Mas como se faz isso?

Na psicoterapia! É lá que você vai poder entender porque certas coisas te trazem mais ansiedade que outras e resignificar isso internamente. Assim, sua mente não precisará mais tomar medidas drásticas como meio de proteção. Além de trazer bem estar psicológico para você e para a futura família que formar.

Dica para começar agora: não deixe as outras áreas da vida em pausa, a maternidade é uma parte da sua vida, não ela toda.

Não esqueça de me dizer o que achou do texto…
Super beijo!


Já garantiu seu EBOOK GRATUITO: Em busca de um filho para amar – O ponto chave que toda tentante deve saber? Não? Clica no botão e baixe o seu exemplar!

Post Anterior Próximo Post

Você Pode Gostar Também

Sem Comentários

Deixe uma Resposta