0
Browsing Tag

Depressão

Pré-Gestacional, Tentantes

Vida De Tentante: Entenda de vez essa fase tão complexa!

#VIDADETENTANTE


Começo esse artigo com uma afirmação muito importante, mas pouco valorizada: São raras as mulheres que engravidam na primeira tentativa. Vida de tentante!

Pois é, está aí uma verdade que poucas pessoas parecem enxergar.

Sim, pessoas… pois não são apenas as mulheres que esperam engravidar “num passe de mágica”, mas a maioria das pessoas ao seu redor. Apesar de ser uma visão compartilhada, a cobrança por gerar uma vida é direcionada com mais frequência à mulher.

Continue Lendo

Pré-Gestacional, Tentantes

Desejo de Engravidar/Tentante – Você Sabe Qual é o Seu?

O lado do desejo de engravidar que ninguém vê.

#VIDADETENTANTE


Hoje eu vim falar com você sobre o desejo de engravidar, e alguns pontos que estão por trás dele…

É comum que esse desejo apareça e a mulher não se dê conta de onde ele vem.

Mas uma coisa é certa: não, esse desejo não aparece por puro e simplesmente instinto maternal.

E de onde aparece, então? Continue lendo e descubra!

Continue Lendo

Pré-Gestacional, Tentantes

Culpa De Tentante – O Resultado da Pressão para Engravidar

Entenda os tipos de culpa que surgem na caminha da vida de tentante!

#VIDADETENTANTE


Olá! Você sente pressão para engravidar por todos os lados? Saiba que ela tem grande relação com a culpa! Vamos falar sobre isso?

No texto de hoje começo destacando um fato afirmado e consumado: quando um casal está tentando ter filhos e não consegue, a primeira pessoa a ser submetida a diversos testes e exames, é a mulher!

E não ao mesmo tempo, cada um em seu médico, mas primeiro a mulher!

Pois é, essa é uma questão delicada e que vem sendo cada vez mais questionada. Afinal, logo de início, já se supõe que a culpada pela infertilidade, é a mulher.

Continue Lendo

Gestação

Aborto Espontâneo! E Agora?

Que dor, que dor absurda. Não sei ao certo de onde ela vem, se do útero ou do coração, só sei que dói. Dói uma dor de perda, de interrupção do esperado, mas também do inesperado – como seria se tivesse ido até o fim? – Dói uma dor de culpa. Sim, a culpa por ter tido pensamentos que não deveria e, por isso, veio o castigo. A culpa pelo sentimento de alívio, afinal, a vida continuará sendo a mesma – Mas que espécie de mulher eu sou por pensar isso? Mãe perfeita é que não é! – Mas é necessário conseguir. Meu marido, minha família, meus amigos, todo mundo espera por isso… os decepcionei, tenho algo de errado, não consegui segurar o bebê.

E quando a perda é de alguém que ainda não foi conhecido, mas já muito esperado?

Pois é… isso acontece!

Continue Lendo